PENDÊNCIAS - Saúde Municipal entra na Campanha Nacional de vacinação do HPV

As vacinas estão disponíveis em todos os postos de saúde, atendendo a faixa etária de adolescentes do sexo feminino, entre 11 e 13 anos. A atuante Secretária Avaneilda Gomes, comunica a todos os adolescentes que procurem um posto de Saúde mais próximo de sua casa. Entenda um pouco mais da campanha: A precaução do Governo nessa faixa etária, é das adolescentes se prevenirem antes da primeira relação sexual, completando a vacina após 3 doses, com intervalo de 6 em 6 meses cada dose HPV O vírus do papiloma humano (VPH ou HPV, do inglês human papiloma virus) é um vírus que infecta os queratinócitos da pele ou mucosas, e possui mais de 200 variações diferentes.
A maioria dos subtipos está associada a lesões benignas, tais como verrugas, mas certos tipos são frequentemente encontrados em determinadas neoplasias como o cancro do colo do útero, do qual se estima que sejam responsáveis por mais de 90% de todos os casos verificados. A principal forma de transmissão do HPV é por via sexual, sendo a doença sexualmente transmissível (DST) mais frequente. Estima-se que 25 a 50% da população feminina mundial este já infectada, e que 75% das mulheres contraiam a infecção durante algum período das suas vidas. A maioria das situações não apresenta sintomas clínicos, mas algumas desenvolverão alterações que podem evoluir para cancro.
  
Existe no mercado mais de um tipo de vacina contra o HPV, que previnem a infecção por alguns dos subtipos mais frequentes de HPV, encontrando-se em discussão a sua inclusão nos planos nacionais de vacinação de diversos países. As opções de tratamento dependem do tipo e extensão das lesões causadas pelo HPV, podendo ser empregue um tratamento destrutivo ou excisona (destruição e/ou remoção das lesões), ou um tratamento à base de medicamentos imunomoduladores como interferão e imiquimode. Sinais e Sintomas 
O tipo e gravidade dos sintomas dependem do "tipo" de vírus do HPV, e do local de infecção. A principal destrinça feita entre as variantes do vírus distribui-os por duas categorias: os que infectam as superfícies cutâneas em geral, e os que infectam a região genital. Seja qual for a região afetada, na maior parte dos casos a infecção é assintomática e resolve-se espontaneamente sem deixar sequelas. Alguns tipos de vírus, contudo, e em especial os que afetam a área genital, podem causar alterações que vão desde lesões benignas a câncer.

Nenhum comentário:

| Copyright © 2013 Blog do Teté Pendências/RN